Junho 27 2009
Terminei a leitura de Os Homens que Odeiam as Mulheres há mais de um mês, mas a agitação das últimas semanas não me permitiu parar para, ponderadamente, reflectir sobre a obra e escrever sobre ela. Talvez já me tenha esquecido de alguns pormenores, mas o essencial perdura no tempo.
Ora, este livro, do sueco Stieg Larsson, dá início à série Millennium. Devido ao falecimento prematuro do autor, a série conta com, apenas, mais duas narrativas completas, uma já publicada e outra em pré-venda.
Neste primeiro livro deparamo-nos com Mikael Blomkvist, um jornalista de economia condenado a uma pena de prisão, por difamação a um proeminente homem de negócios. Ao longo da obra, o protagonista tenta provar a sua inocência, mas não lhe é fácil lutar contra alguém tão poderoso. Paralelamente, Mikael é contactado por Henrik Vanger, em tempos um dos mais importantes industriais da Suécia, que o encarrega de uma missão incomum: oficialmente, Mikael deve escrever a história da família Vanger, mas na verdade tem de descobrir o que acontecera à sobrinha-neta de Vanger, que desaparecera, misteriosamente, há quase quarenta anos. O jornalista aceita a missão com relutância e, mais tarde, recorre à ajuda de Lisbeth Salander, uma estranha e problemática rapariga, mas também uma hacker de excepção.
À medida que a história se desenvolveu, o meu fascínio cresceu, e posso agora afirmar que esta se trata de uma obra a não perder, mesmo. Blomkvist e, sobretudo, Salander revelaram-se duas personagens admiravelmente bem construídas, modernas e viciantes. Apesar de algumas situações muito pouco vulgares, estas personagens mostraram-se realistas e tornaram-se numa espécie de heróis que prometem surpreender nos volumes seguintes. Mas a qualidade da obra não se justifica apenas por estas personagens. Todo o leque de indivíduos é bastante credível, o que associado à história singular, narrada por quem o mostra saber fazer muito bem, resulta numa obra fascinante.
A investigação de Blomkvist e Salander faz-nos conhecer os meandros da família Vanger, repleta de figuras enigmáticas e histórias obscuras. É ai que nasce a intriga principal da obra, e onde a empolgante acção se desenvolve. A busca pela sobrinha-neta de Vanger é somente o prelúdio de descobertas arrepiantes e, estranhamente, empolgantes. Há muito tempo que não encontrava algo assim, tão denso e simultaneamente tão leve. Penso que é da combinação de uma história complexa com uma narração fluida que advém o prazer desta leitura.
Depois de esclarecido o desaparecimento, o jornalista centra-se na defesa da sua inocência. Nesta parte da obra, é o lado negro dos grandes negócios a ser desvendado. Embora a acção não seja, aqui, tão apaixonante, a narrativa continua a distinguir-se pela positiva.
Por último, volto a destacar a jovem hacker, uma personagem complexa com uma vida espantosa. E se tivermos em conta que muito da sua vida, assim como de outras personagens e vários acontecimentos, se baseia em facto reais, é caso para ficar estarrecido perante as situações com que somos confrontados.
Em suma, trata-se de um muito bom livro. Poderia dizer muito mais, mas não vale a pena tentar caracterizar uma história que não pode deixar de ser lida.
Como já referi, A Rapariga que Sonhava com Uma Lata de Gasolina e Um Fósforo já está disponível em Portugal e A Rainha no Palácio das Correntes de Ar é lançado dia 7 do próximo mês. Os livros têm feito grande sucesso por toda a Europa e este primeiro livro já foi, entretanto, adaptado ao cinema, tendo estado entre os mais vistos, em vários países europeus.
Os Homens que Odeiam as Mulheres de Stieg Larsson
Mário Dias Correia, Oceanos, 2008
Boas Leituras!
P.S.: Espero ter, agora, tempo para me actualizar e responder a todos os comentários e mensagens. Obrigado pela paciência!
Publicado por Fábio J. às 22:39

Junho 12 2009
Na página principal do SAPO:
Onde está a opção “Não, porque não moro em Lisboa ou no Porto e os preços praticados (bem como as iniciativas dinamizadas) na Feira não justificam a viagem”?
Começo a pensar que sou culturalmente inadaptado. Isso, ou os milhões de portugueses sem estas duas grandes Feiras do Livro não interessam a quem formulou a questão...
Publicado por Fábio J. às 22:19
Tags:

Junho 04 2009
Este blog tem 3 anos. E três anos, especialmente na Internet, é muito tempo. A blogosfera mudou, o universo virtual português revolucionou-se e a discussão sobre livros, bem, é outra coisa. Para além do blog, o autor também cresceu e envelheceu. O Crítico de hoje não é O Crítico de há três anos, e as suas motivações, as minhas motivações, são outras.
Entristece-me pensar no tempo que passou e no que era, que já não é. Há três anos, eu tinha tempo e uma grande vontade de partilhar opiniões. Havia espaço na blogosfera e pessoas que não gostavam apenas de livros, de editoras, de autores ou de notícias, mas de ler e de se perder numa história mais ou menos boa, mais ou menos premiada. Há três anos o mundo era outro, e as circunstâncias também. Talvez fizesse sentido criar um blog sobre livros. Talvez faça sentido acabar com um blog sobre livros.
Continuo a ler, e a adorar ler, e continuo a querer partilhar opiniões, mas quando existem outras prioridades não consigo estar aqui presente. E poderá manter-se um blog com um ou dois textos por mês? A verdade é que continuo a ter visitas e comentários, o que, aliás, me mantém aqui, mas sempre disse que só manteria o blog, e passo a citar, “enquanto não for um espaço decadente”.
Não leio, actualizo, critico ou respondo a comentários suficientemente rápido. O tempo está contra mim, e a tendência é piorar.
Por essa razão, agradeço imenso, e muito sinceramente, a todos os que por aqui continuam a passar. Vou esforçar-me para manter o espaço vivo, talvez por teimosia, talvez por que já não consigo livrar-me dele.
Este blog deixou de ser um bebé, e é agora uma pequena criança. Ou me adapto à realidade, ou desapareço.
Soprem as velas… são três.
0. 1. 2.
Publicado por Fábio J. às 19:23
Tags:

Junho 03 2009
Prémio Camões para Arménio Vieira… hmm
Mais um autor que não conhecia, desta vez cabo-verdiano. Fiquei curioso, pelo que já está lista, longa lista.
Mais aqui e aqui e aqui.
Publicado por Fábio J. às 22:46
Tags:

Um blog sobre livros e afins. A descongelar lentamente...
Contacto
Contacto

As mensagens poderão não ser lidas por extensos períodos. Pedidos de divulgação e/ou colaboração poderão não obter resposta.
pesquisar
 
A ler...
Tales of Earthsea

Romeo and Juliet

comentários recentes
Realmente, sou fascinada por este livro, maravilho...
ta fixe tou a lero segundo:tuneis  aventura n...
<a href='http://www.cricinfobuzzlive.com/live-c...
E Jack london?Eça de Queiros.....
Também adorei!:http://numadeletra.com/a-mancha-hum...
arquivos
2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


Leitores Online
online


O autor deste blog não respeita o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa