Fevereiro 14 2007

Um dia destes pus-me a olhar para os livros que li nos últimos tempos. Consequentemente lembrei-me do blog e dos livros que só conheci aqui, das opiniões que li e daquelas que dei, do mundo em que me embrenhei e do qual não pretendo mais sair. Já não consigo imaginar a minha vida sem livros e isso tem-se reflectido nas minhas acções.

Hoje, durante um almoço, vi-me a discutir Eldest com um colega! Por acaso não fui eu a tocar no assunto, mas depois de lançado o tema fluiu e as teorias e conspirações rolaram sobre mortes, mistérios e personagens. Depois de algum tempo em que fomos olhados com desinteresse, mudamos de assunto e misturamo-nos na conversa geral.

Isto, de certa forma, demonstra também o impacto que a Trilogia da Herança criou no género fantástico. Paolini é já um ponto de referência, qual mestre Tolkien. Que o diga Cátia Palha, autora de A Era das Brumas – Os Nogmas, o seu primeiro livro. Tem uma premissa bastante sugestiva: “Na tradição de O Senhor dos Anéis. Tão moderno quanto Eragon. A revelação portuguesa do ano. O melhor da alta fantasia!”. Interpretem como quiserem, mas eu prefiro acreditar que não é apenas uma jogada de marketing.

A história passa-se num planeta distante habitado por inúmeras tribos. No meio dum verdejante e grande oceano existe uma ilha chamada Amö’marh, onde habita o povo Nogma, um povo constituído por seres etéreos e misteriosos. Este povo zela pela paz em Yêmanenphizz, mas nem sempre é fácil.

Para combater esta paz existe (como é tradicional no género) um Senhor do Mal que habita nas trevas. Dwr é o seu nome. A acção começa quando este apodera-se de uma cria num baptismo de sangue que mudará para todo o sempre os destinos do mundo.

Assass, líder de parte do povo Nogma, atende a um chamamento superior e inicia uma cruzada para salvar a pequena cria.

A cria terá de ser resgatada do jugo de Dwr, pois negros presságios assolam o planeta Yêmanenphizz.

Para saber mais é necessário ler a história, e como acredito que estas 508 páginas serão mais do que simples entretenimento pretendo ler a obra. Não quero com isto dizer que serão como palavras de Tolkien, ou que têm o enredo de Paolini, mas qualidade também deve existir. A ver vamos...

Despeço-me, mas não sem antes desejar um resto de bom Dia dos Namorados, repleto de amor, tanto para quem já tem com quem o partilhar como para quem ainda o procura.

A Era das Brumas - Os Nogmas de Cátia Palha

Até breve e Boas Leituras.

Publicado por Fábio J. às 20:07

Gostei! Tambem não creio que seja uma simples estratégia de marketing. Ultimamente os livros têm-me surpreendido pela positiva. Pelas breves coisas que contaste da história fez-me lembrar o senhor dos anéis, mas um senhor dos anéis escrito no século XXI deve ser bom! Fiquei curiosa! Principalmente de uma autora nacional. "O que é Nacional é bom! " =P
A meio do texto reparei em duas palavras do livro. Acho tanta piada aos diferentes idiomas criados. Eu acho difícil criar palavras novas que dêem ideia de ter algum nexo, mas acho super interessante. Principalmente a língua élfica de Tolkien. Um espanto!!

Já estou com saudades de ter discussões literárias ao vivo. É sempre tão bom formular teorias e debater os aspectos de um livro. Costumava fazer mais isso com Harry Potter. Mas actualmente só uma amiga minha é que "lê" e é raro debatermos, porque como disseste, acontece sermos "olhados com desinteresse" e ninguém poder acompanhar a conversa ou simplesmente abominarem o simples tema.
Já agora, quem achas que vai ser o próximo cavaleiro do dragão no ultimo livro da Trilogia da Herança?
cricri a 14 de Fevereiro de 2007 às 20:39

Não sei se antes ou já de pois de ler O Silmarilion, mas lembro de ter começado a "estudar" Quenta, ou melhor, o abecedário do Quenta. Cheguei a decorar todo o abecedário e as regras, mas agora, como já não pratico já não me lembro de quase nada. Também acho muita piada a estas "línguas", já com Eragon foi o mesmo, a tentar decorar algumas falas... enfim, chama-lhe o que quiseres, tolice talvez.

Por acaso este ano tenho, na minha turma, algumas pessoas com quem é posível falar sobre livros. Este colega é uma deles, mas existem mais uns três. Por vezes, por acaso, acabamos todos juntos a debater Shakespear, Eragon, Harry Potter ou literatura em geral. É bastante interessante, embora aconteça poucas vezes.

Em relação ao Cavaleiro... hum, eu queria, e acho que até seria possivel, que fosse o Roran, mas também teria lógica se fosse um anão, como disse este meu colega, pois nunca houve nenhum. Talvez o Orik, mas não é um ideia que me agrade. Deixaste-me pensativo. E se fosse uma rapariga? Mas esta hipotese ainda é menos provável.
Roran é a minha aposta.
Fábio J. a 15 de Fevereiro de 2007 às 18:33

Que giro! Não acho tolices nenhumas! Na altura também decorei algumas, acho fascinante. Mas do Senhor dos Anéis, restam-me escassas palavras...

Há muita gente a apostar no Roran. Não é uma personagem que me fascine muito, mas tem a sua lógica ser ele o Cavaleiro. Também se fala num anãco, como não houve nenhume o Orik é interessante..mas não estou a imaginá-lo em cima de um dragão, ele nem gosta muito de voar. Eu apostaria na Arya. É muito óbvio, talvez, mas ainda não há nenhuma Cavaleira e depois a magia verde, os olhos verdes, o dragão verde...e é das poucas personagens que não necessitaria de treino de Cavaleiro. O único contra é que ela já tem como tarefa ser a sucessora de Islanzadi.
Já me lembrei também da Elva. Ela é tão...estranha!
cricri a 15 de Fevereiro de 2007 às 20:28

O Roran é sem dúvida uma personagem que me agrada bastante. Adorei as suas "partes" no Eldest e acho que uma maior participação deste no próximo livro só se justifica se este for Cavaleiro, esquecendo, claro, o "salvamento" de Katrina.
Quando referi um Cavaleiro no feminino também pensei em Arya e em Elva, mas acho que se fosse a primeira seria demasiadamente lógico e com pouco interesse. Elva, mesmo sendo estranha, e não esquecendo a sua "marca", não me parece uma boa opção...
É esperar para ver...

Bom fim-de-semana!
Fábio J. a 17 de Fevereiro de 2007 às 15:43

Desculpem intrometer-me mas, algumas pessoas que eu conheço acham que é uma tolice, mas eu também decorei falas de livros principalmente de o senhor dos anéis , e ainda sei algumas, no filme por exemplo quando eles falam em elfico eu dou por mim a dizer ao mesmo tempo que eles as falas. Adoro as línguas antigas que aparecem nos livros de fantasia. É pena não ter ninguém que ache piada a essas línguas e a esses livros, assim torna-se difícil discuti-las com alguém, e é por isso que eu adoro esta blog! Posso falar à vontade sobre livros, e obtenho sempre uma resposta!
mc a 19 de Fevereiro de 2007 às 11:05

Eu também gosto bastante das línguas e nomes que muito autores criam. Tolkien é sem dúvida um mestre (também) nesta área. As sua línguas são tão fascinantes. Enquadram-se tão bem com a história que parece lógico que aquelas personagens só poderiam falar assim!
Não me importava nada de saber falar élfico...
Fábio J. a 19 de Fevereiro de 2007 às 14:56

Parece ser um livro interessante, um daqueles livros que eu gostaria de ler. Deixaste me curioso quando o relacionaste com a trilogia a Herança, e ainda mais quade referiste Tolkien.
Adorei o post, continua assim! Boas Leituras!
leitor a 14 de Fevereiro de 2007 às 21:20

Também acho que tem uma premissa muito interessante e apelativa.
Quanto às comparações não sou eu que as faço, é a editora. Não li o livro e como tal não posso fazer esse tipo de comentários. Mas acredito que a influência destas obras esteja lá... não demasiadamente também...

É ler para saber, eu pelo menos espero!
Fábio J. a 15 de Fevereiro de 2007 às 22:32

como é que se mete aquela nota "rotativa" no cabeçalho
leitor a 14 de Fevereiro de 2007 às 21:24

Bom dia! Parabéns pelo blog, gostei tanto dele que incluí na minha lista de indicações de links...

Oi. Bem vindo ao blog.

Obrigado pelas palavras. Espero que continue a gostar e volte a visitar o blog.

Até Breve!!!
Fábio J. a 15 de Fevereiro de 2007 às 22:33

É uma pena já não existir esse tipo de discussões literárias. u cá vou incentivando o meu gajo para as leituras e vamos falando falando. Não fosse ele a minha alma gemea...
Cláudia Oliveira a 15 de Fevereiro de 2007 às 18:29

Mais vale poucas e boas!
Eu, de vez em quando, quando se proporciona, tenho algum debate sobre literatura. São poucas as vezes, mas se o companheiro de conversa souber do que está a falar já é um bom momento.

Ainda bem que tens a tua alma gémea e que podes partilhar este assunto com ele. Também faz parte! Continua a insistir... se ele ainda não se "convenceu" acabá-lo-á por fazer... ou passará a odiar a literatura... mas acho pouco provável.

Até Breve!
Fábio J. a 15 de Fevereiro de 2007 às 22:38

Às vezes é dificil encontrar alguém com que se possa discutir as teorias etc à vontade.. mas encontram-se bem!

hoje em dia há muita gente a ler o estilo fantástico, e não só "putos" como muita gente pensa.

o estilo não escolhe idades, mas sim pessoas com imaginação que gostem de se aventurar pelos mundos imaginários destes livros :D

e eu já me ando a passar com o eldest.. ora compro, não compro.. (Ó PAIII vai lá comprar o livro de uma vez por todasss!) ok foi só um desabafo xDD


boas leituras :D

beijos * **
Dee a 15 de Fevereiro de 2007 às 20:24

Acho que essa ideia de que os livro de fantasia são para crianças é algo bastante antiquado.
É um estilo como outro qualquer no que toca a leitores, e o próprio facto de se subdividir em várias áreas é mais um factos que possibilita a diversidade de idades.
É uma aventura, como dizes, e neste mundo tão realista e duro acho necessário ter momentos de descontracção em que nos possamos abstrair do mundo real e viajar por outro locais e ser outras "personagens". Pelo menos este é um dos factores que me faz gostar do género.

Quanto às discussões literárias: ainda se conseguem encontrar algumas pessoas "capazes", até porque a qualidade e a popularidade de muitas histórias (SDA, HP, Eragon, Nárnia) tem despertado bastante curiosidade no público geral.

Boa sorte com o Eldest, então. E já agora, boas viagens e aventuras por estes mundos fantásticos!
Fábio J. a 16 de Fevereiro de 2007 às 19:34

Desculpa não ter aparecido, mas por incrível que pareça continuo sem tempo para nada e continuo constipada, já não posso ver lenços de papel à frente. Mas hoje para compensar os dias todos que não escrevi vou fartar-me de escrever.
Quanto ao teu post primeiro: adorei o nome do livro pois recorda-me as "brumas de avalon " de marion zimmer bradley , que são 4 livros simplesmente fabulosos!!!!!!!! Segundo se o livro segue a mesma linha de o senhor dos aneis e de eragon tenho a certeza de que é fantástico , e acho que vou ter de o acrescentar à minha lista. EU não compro um livro à algum tempo pois nas livrarias da minha Terra não existem os estilos de livros que eu gosto, é mais margarida rebelo Pinto e companhia, o único que encontrei de interessante foi o anders , mas preferi esperar por estas férias para ir a outras livrarias e ver o que há. Pensei em requisitar , mas constipada e sem tempo nenhum tornou-se difícil , por isso optei por voltar a ler eldest . A primeira vez que o li fiquei com algumas duvidas quanto ao livro, não me pareceu tão bom quanto eragon , mas agora que o volto a ler acho que por acaso me enganei na primeira vez que o li..........e estou a tentar descobrir pistas que paolini diz ter deixado sobre quem é o terceiro cavaleiro. Acho que é o roran .......mas ainda não sei bem! Só gostava de saber quando é que sai o 3º livro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Não falei muito no livro a era das brumas, mas acho que o essencial é que o livro parece ser mesmo muito bom, é baseado em clássicos da literatura, mas pelo resumo das história, é original e não se prende totalmente a esses clássicos
mc a 19 de Fevereiro de 2007 às 10:41

As Brumas de Avalon! Era para ler essas obras para a escola, mas depois fiquei pelo Silmarillon.
Brandley intriga-me. Pelo que sei começou a escrever por uma questão de sobrevivência, e as suas obras eram um pouco sensacionalistas. Mais tarde tornou-se um icon mas mesmo assim fico curioso em relação a este assunto.
Outra série dela que me interessa é a Darkover... parece interessante. Mas quero começar pelas Brumas de Avalon...

Gostava que fosse o Roran o cavaleiro. Acho que tinha bastante sentido. Quanto ao livro acho que sai no final deste ano, pelo menos é o que dizem os rumores, apesar de ninguém o afirmar claramente: é um "diz-se"!

Eu fiquei interessado neste livro (A Era das Brumas) por causa da premissa e das comparações. Já está na minha lista...

As melhoras, então, da constipação para que possas aproveitar o Carnaval e as mini férias.
Até Breve e Boas e esclarecedoras Leituras!!!
Fábio J. a 19 de Fevereiro de 2007 às 15:37

Um blog sobre livros e afins. A descongelar lentamente...
Contacto
Contacto

As mensagens poderão não ser lidas por extensos períodos. Pedidos de divulgação e/ou colaboração poderão não obter resposta.
pesquisar
 
A ler...
Tales of Earthsea

Romeo and Juliet

comentários recentes
<a href='http://www.cricinfobuzzlive.com/live-c...
E Jack london?Eça de Queiros.....
Também adorei!:http://numadeletra.com/a-mancha-hum...
Quando será lançado o quarto livro em português do...
Estou agora a ler esse livro e este seu texto deu-...
arquivos
2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


Leitores Online
online


O autor deste blog não respeita o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa