Novembro 09 2008
Terminei a leitura de Ensaio sobre a Cegueira, obra de José Saramago. Mais uma vez, maravilhei-me com a história, com as personagens, com a acção, com as palavras do autor que já me convenceu.
A obra nasce de uma interrogação simples: e se, sem causa conhecida nem controlo capaz, uma cegueira afectasse toda a população mundial? Uma possível resposta está presente neste livro e, acreditem, não é, de todo, reconfortante.
Um homem cega, enquanto se encontrava parado num semáforo, mergulhando na luminosidade e não escuridão comum. A partir deste primeiro cego a cegueira branca alastra, contagiando todos e transformando a sociedade organizada num inferno pestilento, malcheiroso, moribundo, branco. Do todos se aparte uma, a única que em mundo de cegos vê. Azar o seu, obrigada a olhar e ver a degradante e bestial natureza humana.
Por vezes chocante, muitas vezes inquietante, sempre surpreendente, o enredo desenvolve-se a um ritmo constante e apresenta situações incríveis, ora repugnantes ou atemorizadoras, ora deprimentes ou humanas. A verdade é que o livro fez-me sentir e pensar, e se intensidades existem para o sentir e o pensar este livro fez-me senti e pensar mais do que outras leituras.
As personagens, sem nome, não são apenas parte da história. No fundo, são elas próprias a história, pois é a humanidade, aqui vista de múltiplas e incómodas perspectivas, a razão deste romance. Elas somos nós e esta é a verdade mais assustadora da obra.
Este romance sem tempo, passado num ontem, hoje ou amanhã, é fruto da genialidade do autor, exímio contador de histórias. Mais uma vez, a leitura foi muitíssimo agradável e foi com pena que a terminei. A cegueira está sempre presente. Ironicamente, é por seremos tão cegos que não a conseguimos enxergar.
Resta dizer que a adaptação cinematográfica, realizada por Fernando Meirelles, chega aos cinemas portugueses na próxima quinta-feira, dia 13 de Novembro. A não perder.
Um livro muito recomendado!
Ensaio sobre a Cegueira de José Saramago
Inquietantes Leituras!
Publicado por Fábio J. às 21:38

Não dá para acrescentar mais uma estrela ? É um livro inquietante, que nos faz pensar, cegos somos todos, e é verdade, cada vez mais este livro está mais actual e mais realista. Li-o à pouco tempo e fiquei tão abalado por ter terminado que nem consegui ler mais algum durante algumas semanas. Maravilhoso, venha o filme.
Menphis a 10 de Novembro de 2008 às 10:37

Olha que já me apeteceu dar 6 estrelas a alguns livros... :) Este era um deles.

Este livro tem, a meu ver, dois lados: o ficcional, com a moral da história pois, afinal, cegos somos todos nós que vivemos diariamente num mundo muito injusto e ilógico; e um lado real, pois, com ou sem cegueira generalizada, há pessoas capazes de atitudes tão ou mais brutais e animalescas que as representadas na obra.
Isto para dizer que não há como não abalado com esta história brutal e, melhor ainda, assustadora. A realidade humana assusta.

Resta-me agora ir ver o filme. Se for tão bom como o livro é genial.
Fábio J. a 10 de Novembro de 2008 às 21:44

Este livro é realmente magnífico! Li há uns aninhos, mas uma releitura não está fora de questão!
livros2amao a 10 de Novembro de 2008 às 11:28

Eu fiquei triste quando acabei de ler a obra, não tenho vergonha de o dizer. Afinal soube-me tão bem!
Apetecia-me continuar. Por isso, uma releitura de Saramago é sempre bem-vinda e deve ser igualmente interessante.
Para já venham novas obras do autor, depois de verá.

Boas Leituras!
Fábio J. a 10 de Novembro de 2008 às 21:58

O livro é absolutamente genial; Um dos melhores livros que li até hoje e sem dúvida nenhuma um dos melhores conceitos para iniciar uma obra. é esta faceta da obra de Saramago que me fascina, as questões que o autor coloca como base para as suas obras. Neste caso a pergunta é : "E se uma cegueira branca atingissse a humanidade?O que aconteceria?"...Brilhante! Já agora se gostas-te desta obra irás devorar as "intermitências da morte" do mesmo autor, a pergunta neste caso è : "E se a morte deixasse de acontecer?" Um abraço
Roberto Mendes a 11 de Novembro de 2008 às 11:34

O livro é genial, o tema é genial, o estilo do autor é genial, enfim, um conjunto imperdível.
Contudo, e embora as temáticas sejam sem dúvidas muito boas, não são as questões bases que o autor coloca que me fascinam mas sim a maneira única como as histórias são contadas. Talvez por isso tenha gostado ainda mais do Memorial, livro em que Saramago mostra como é bom contador. O sarcasmo, a ironia e as observações, também muito presentes neste último livro que li, são o melhor. JS é um mestre!

Já tinha lido qualquer coisa sobre as "Intermitências da morte" e sobre o seu tema. O livro consegue ser melhor do que o "Ensaio (...)"? Tenho de ler! Já o queria ler, mas agora não o posso perder. Obrigado pela sugestão. ;)

Até Breve!
Fábio J. a 11 de Novembro de 2008 às 21:25

Já me aconcelharam esse livro "intermitencias da morte" de Saramago!

Mas já les-te a continuação do ensaio sobre a cegueira???
Ensaio sobre a lucidez, de saramago

Ao principio nao parece, mas lá mais pro meio percebe-se que é a continuação!

Alé Saramago!
Nice N Easy a 15 de Novembro de 2008 às 18:30

Genial! Também já li esse livro e inclusive fui logo no dia a da estreia ao cinema ver! Para quem for o foi ver o filme, prestem atenção pois o filme está adaptado para cegos. Existe vários tons de musica, mais fortes e fracos que caracterizam a intensidade da cena! =D Genial!

Beijo adoro o blog!
Mii a 14 de Novembro de 2008 às 17:35

Eu ainda não pude ir, mas pretendo ir esta semana. E pelo que já li o filme está muito bem adaptado à mensagem do livro, como deixas entender. Não posso perder.

Se o filme for tão bom como o livro, será genial!

Obrigado pelo comentário. Até Breve!
Fábio J. a 16 de Novembro de 2008 às 21:49

O livro é pra la´de bom!

Eu, que comecei com o "Memorial do Convento", começei muito mal, poruqe o memorial não é um verdadeiro Saramago's book.

Agr com o ensaio da cegueira... é das melhores coisas que li. A história vicia!

Lê também o "ensaio sobre a lucidez" que é a continuação ( só lá mais pró meuio é que dá para perceber) mas é a continuação do "ensaio sobre a cegueira"!

E amanha: vou ver o filme!!! he he
(Tenho a certeza que será uma desilusão!)
Nice N Easy a 14 de Novembro de 2008 às 17:44

Acabaste de dar-me uma notícia não muito boa.
Concordo que o Ensaio sobre a Cegueira é incrível, muito bom mesmo, mas, ainda assim, e apesar da comparação ser difícil, eu gostei ainda mais do Memorial. Acho que no Memorial do Convento Saramago é um escritor completo. Adorei lê-lo... E sinceramente espero que os futuros livros dele que venha a ler sejam tão bons como o Memorial, daí querer tanto ler a Viagem do Elefante, que também é "histórico". Enfim, são opiniões.

Já me tinham aconselhado do Ensaio sobre a Lucidez, mas não sabia que era uma espécie de continuação. Mais uma razão para o ler. Deve ser, também, muito bom.

Quanto ao filme, quando resulta de um livro tão bom como este, pode não ser uma desilusão? :) O que importa é que não deixe o livro ficar mal.
Fábio J. a 16 de Novembro de 2008 às 22:05

Agora falta ver o filme! Vi-o ontem e posso dizer que está fenomenal! Muito próximo do livro...tem variações cromáticas de luz muito fiéis ao desespero descrito por Saramago! E J.Moore no papel da mulher do médico? Está muito bem! Gostei, em entre muitas outras coisas, do cão a lamber a lágrima da mulher...é um dos poucos momentos sensíveis e humanos da trama...tal como senti quando li o trecho.Muito bom!
Joana Pinto a 16 de Novembro de 2008 às 13:04

Esta última semana não pude ir, por falta de tempo e porque o cinema mais próximo ainda não o exibe ;( ... Mas conto ir nesta semana!
Fico contente por saber que o filme não desilude, antes pelo contrário, é muito bom. Com uma história tão cativante, para fazerem justiça ao livro tinham de fazer um bom filme. Ainda bem que assim foi.

Até Breve!
Fábio J. a 16 de Novembro de 2008 às 22:16

Gosto muito do teu/seu(?) blog e já o sigo há algum tempo mas esta é a primeira vez que venho aqui comentar :)

Estou a meio do dito livro e estou a adorar. É um daqueles livros que poderia ler num só dia e só não o faço pois percebi, desde o início, que não quero chegar ao fim, vou querer mais =)

Confesso que é o primeiro livro que leio do Saramago e, por acaso, até tinha planeado começar pelo Intermitências da Morte mas, com tanta notícia da adaptação ao cinema e sabendo que iria querer vê-lo, acabei por "ter" de ler esse primeiro, já que prefiro sempre ler o livro e só depois ver o filme. E ainda bem que assim é: descobri um dos meus livros favoritos de sempre =)

Parabéns pelo blog, acho-o muito interessante e tenho sempre curiosidade para ler o próximo post!

Beijinhos
Bia a 1 de Dezembro de 2008 às 01:28

Desde já muito obrigado! É sempre bom saber que gostam do que vou aqui fazendo. E podes tratar-me por tu. A dimensão virtual dispensa formalismos. ;)

O Ensaio sobre a Cegueira é mesmo absorvente. Percebo essa atitude, esse poupar as páginas... Saramago vai-nos apresentando situações arrebatadoras, perturbadoras, por vezes chocantes, o que acaba por despertar a nossa consciência para a humanidade que há em cada um de nós. Isso pode tornar-se um vício.

E agora é ler outros. Eu ainda vou no terceiro, mas quero ler mais, pois este autor português é incrível, é um mestre. As Intermitências da morte é um dos que espero ler em breve. Lê o Memorial. Pode ser que não gostes, mas eu adorei mesmo, é talvez o melhor livro que li em 2008.

Boas Leituras!
Fábio J. a 3 de Dezembro de 2008 às 22:20

Fui ver hoje o filme e não há palavras para descrever o que senti ao vê-lo. Foi algo completamente indiscritível.
Mal saí do cinema, fui logo comprar o livro em busca de me satisfazer ainda mais.
Não tenho palavras.
AB a 19 de Dezembro de 2008 às 20:16

A história é mesmo impressionante e arrebatadora.
O livro certamente não desiludirá, afinal a história é aí ainda mais explorada.

Boas Leituras!
Fábio J. a 22 de Dezembro de 2008 às 19:08

Já li este livro à algum tempo, é sem duvida um livro chocante pela descrição das cenas, nomeadamente os locais onde as personagens coexistem...

Adorei a originalidade da historia e todo o seu desemvolvimento, contudo fiquei um pouco desapontado com o final do livro pareceu me inferior ao resto da historia...

Quanto ao filme, não desgostei mas axo o livro mais completo e entusiasmante..
daniel a 15 de Fevereiro de 2009 às 19:14

Existem algumas partes deveras chocantes, mas ainda bem que lá estão. Se é verdade que um bom livro não é feito apenas do sobressalto que provoca no leitor não é menos verdade que este livro não seria o mesmo sem as cenas arrepiantes que contém.

Muita gente me tem falado do final. Eu não acho que o fim tenha sido desajustado, antes pelo contrário. Que mais poderia o autor escrever? Será que o referido fim não vem reforçar o choque, a inutilidade da bestialidade humana, a ironia do destino? Eu gostei; gosto daquele tipo de fins. Mas percebo porquê que muita gente o classifica "inferior".

Obrigado pelo comentário.
Boas Leituras!
Fábio J. a 24 de Fevereiro de 2009 às 22:38

Um blog sobre livros e afins. A descongelar lentamente...
Contacto
Contacto

As mensagens poderão não ser lidas por extensos períodos. Pedidos de divulgação e/ou colaboração poderão não obter resposta.
pesquisar
 
A ler...
Tales of Earthsea

Romeo and Juliet

comentários recentes
<a href='http://www.cricinfobuzzlive.com/live-c...
E Jack london?Eça de Queiros.....
Também adorei!:http://numadeletra.com/a-mancha-hum...
Quando será lançado o quarto livro em português do...
Estou agora a ler esse livro e este seu texto deu-...
arquivos
2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


Leitores Online
online


O autor deste blog não respeita o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa