Julho 21 2009
O livro Rainha das Trevas completa a Trilogia das Jóias Negras, da norte-americana Anne Bishop. Nos dois primeiros volumes, Filha do Sangue e Herdeira das Sombras, pude conhecer o complexo mundo criado pela autora e acompanhar o crescimento de Jaenelle, a protagonista. Neste último, assisti à derradeira batalha entre o bem e o mal, na qual a coragem e a astúcia dos heróis se revelaram decisivas.
Há setecentos anos, num mundo governado por mulheres e onde os homens são meros súbditos, uma Viúva Negra profetizou a chegada de uma Rainha na sua teia de sonhos e visões. Incapazes de atingir Jaenelle, a jovem Rainha, os membros corruptos dos Sangue fazem um jogo perverso de diplomacia e mentira, procurando destruir aqueles que sempre deram tudo por ela. E revertem as culpas para o seu tutor, Saetan, que passa a ser visto como a maior das ameaças ao poder instituído.
Com Jaenelle como Rainha, a chacina do povo e a profanação das terras irá terminar. Porém, onde se fechou uma porta poderá abrir-se uma janela... E mesmo que Jaenelle possa contar com os seus aliados, talvez não seja suficiente: só um terrível sacrifício poderá salvar o coração de Kaeleer...
Passaram alguns anos desde os acontecimentos narrados no volume anterior. As personagens mostram-se agora mais consistentes, com personalidades mais definidas, e as diversas intrigas convergem para o derradeiro fim. Talvez por isso, desde o início, senti os acontecimentos a precipitarem-se, ficando quase tudo esclarecido. Porém, nem sempre com as devidas justificações ou nos momentos mais propícios.
Diria até que, enquanto, nos volumes precedentes, havia episódios cujo principal papel era agradar o leitor e tornar a leitura mais interessante, neste a autora não se deixa afastar pela imaginação, restringindo-se, apenas, à conclusão das histórias secundárias e principal. Por um lado, isso resulta num livro menos inovador, mas, por outro, permite uma abordagem mais focada no que realmente interessa, dando resposta a todas (ou quase todas) as dúvidas do leitor.
A história continua, ainda assim, repleta de episódios muitíssimo bem construídos. Não me esquecerei das falas e atitudes de Surreal, que me levaram a gargalhar efusivamente, nem dos combates travados até à morte, tensos e decisivos. E outros exemplos existem, todos eles dando densidade ao enredo principal.
E por referir o enredo principal, não posso deixar de fazer notar que, muitas vezes, os acontecimentos eram previsíveis. Tal poderia ser decididamente negativo, mas a autenticidade com que a narradora nos conta a história, mostrando todo o poder e capacidades das personagens, fez-me esquecê-lo. É que, não deixando de haver personagens claramente idiotas (claramente por vontade da autora), outras há que foram bem manipuladas, dando tudo o que podiam dar (o que nem sempre acontece neste género de obras, onde a magia, por vezes, muita, é quase sempre, e irritantemente, limitada).
Tal como referi em relação aos volumes anteriores, a criatividade bate-se com a falta de fundamentos. Neste terceiro livro, a situação não é grave, embora continue a penalizar o ritmo e compreensão da leitura.
Pormenores à parte, Rainha das Trevas é o meu volume preferido da trilogia, pela sua consistência. Fiquei um pouco desiludido com os capítulos finais, não por decepção, mas por curiosidade e nostalgia. Quando li o primeiro volume, afirmei, num comentário, que depois da trilogia não voltaria a ler mais nada da autora. Agora, a minha opinião é diferente e já tenho Teias de Sonhos debaixo de olho.
Rainha das Trevas de Anne Bishop
Cristina Correia, Saída de Emergência, 2007
Boas Leituras!
Publicado por Fábio J. às 16:16

Resposta ao comentário feito no meu blog Lydo e Opinado: Quanto à série que vai ser feita a partir desta saga, já foram escolhidos actores para alguns dos principais papéis. Confere aqui -> www.winter-is-coming.blogspot.com
Tiago a 22 de Julho de 2009 às 10:42

Olá,

Volto a escrever o que já referi no Lydo e Opinado: a série ainda não foi aprovada. Acompanho de perto o Winter is Coming, pelo que sei dos actores mas, se reparares bem, são actores para o episódio piloto, episódio esse que levará à aprovação, ou não, da série por parte da HBO. Se pensarmos bem, com tanta publicidade é quase certo que a série será realizada, mas, bem, ainda não é oficial.

Estou correcto?
Fábio J. a 22 de Julho de 2009 às 13:32

Olá! Antes de mais parabéns pelo blog e por uma vida cheia de leituras!:)

A propósito da Anne Bishop : ainda vou no primeiro livro, cuja leitura me tem "custado" umas boas horas...não raro, lá tenho de voltar para trás para entender a história, procurar uma frase ou um momento específico, ou reler um capítulo, pois é terrível chegar ao fim do mesmo e não perceber nada do que se leu...

Faz-me lembrar quando, há alguns anos, peguei no Silmarillion (Tolkien), e andava sempre a ler as páginas anteriores para não me perder, e conseguir fixar o nome dos personagens - o que se revelou, a páginas tantas, verdadeiramente impossível.

Mas não desisto. O único livro do qual desisti até hoje foi o "Eurico, o Presbítero", do Alexandre Herculano, e acho que qualquer dia ainda lhe pego de novo, em nome da minha honra :P
Portanto, mais uns dias...só mais um dias...:)

Bjs & miaus,
Bxana
Bxana a 16 de Agosto de 2009 às 22:39

Olá, e muito obrigado pela visita.

Essa sensação parece-me mesmo ser predominante: no primeiro livro é difícil perceber o que se lê. Talvez seja muita informação dada ao mesmo tempo, não sei, mas verdade é que é complicado perceber tudo aquilo.

Quanto à comparação com O Silmarillion, já não posso partilhar a opinião. Eu adoro O Silmarrillion! E a complexidade da narrativa é o que torna a obra fascinante. O livro mostra-nos a mitologia densa e brilhantemente construída por parte de Tolkien. E parece-me que Tolkien era muito, mas muito mais claro do que Bishop. E se tivermos em conta que Bishop propõe-se narrar uma história, enquanto que Tolkien narra uma série de acontecimentos nem sempre directamente relacionados entre si, maior me parece a distância entre obras. Mas são opiniões e percebo onde queres chegar. A leitura também pode ser difícil no Silmarillion.

Não desistas. Vais ver que os próximos livros valerão o esforço que agora tens.

Boas Leituras!
Fábio J. a 19 de Agosto de 2009 às 23:57

Penso que para quem leu a trilogia não deve deixar de ler Teias de Sonhos, uma vez que se trata de um complemento à própria trilogia.
Este livro é composto por algumas histórias que foram mencionadas ao longo dos livros (e que nos ajudam a compreender algumas situações) e também pela continuação da história de Janelle.

Em pessoalmente adorei...

maria
maria a 20 de Agosto de 2009 às 15:32

Eu já tenho esse livro na lista, pois queria muito ficar a conhecer melhor aquele mundo tão criativo mas, sobretudo, saber o que aconteceu a Jaenelle. Confesso que achei que o final deixa uma bocadinho a desejar, de tão misterioso que é. Talvez o leia em breve...

Obrigado por me relembrar este livro!
Espero gostar.

Boas Leituras!
Fábio J. a 20 de Agosto de 2009 às 23:00


Olá, eu não pertenço a este blog, mas se se fala de Anne Bishop, não posso deixar de postar um comentário...


Eu comecei a ler Anne Bishop a um ou dois anos atrás, mas ofereceram-me o livro "Jóia Perdida".... Ou seja ao principio não apanhei a história, pois desconhecia os outros volumes, mas à medida que fui lendo, comecei a perceber o enredo e achei fantástica a forma de como a autora escreve, entretanto no Natal passado (com muita insistência minha) consegui que me dessem o "Sebastian" que é um livro que se situa num universo paralelo ao dos Sangue.... E voltei a adorar, neste momento estou a ler o primeiro volume da trilogia das "Jóias Negras" para conhecer a historia desde o inicio... Embora seja bom, estou um bocado desiludida pois já sei praticamente como acaba.... Mas não vou desistir pois vou conhecer muitos mais aspectos em relação aos Sangue.... Depois de ler a trilogia, penso (tenho quase a certeza) que vou partir para a "Teias de Sonhos" e assim adiante.


Se pudessem, agradecia que me recomendassem livros do mesmo género dos da Bishop, pois a escrita dela é muito aliciante, consegue entreter o leitor durante horas a fio!


 


Rita

Rita a 2 de Setembro de 2010 às 22:18

Este é um blogue aberto a todos! Desde que as intenções sejam boas, qualquer opinião sobre livros e afins é muito bem vinda :)
Não sabia que o Jóia Perdida se relacionava directamente com a trilogia. Pensei que fosse uma história paralela... O Teias de Sonhos, esse sim, conheço melhor e tenho-o debaixo de olho porque me parece uma espécie de continuação da trilogia (que acaba bastante em aberto, diga-se de passagem).
É um estilo próprio e aliciante, mas a mim também me pareceu um pouco confuso, por vezes, pelo que mantenho algumas reservas quanto à autora. Mas sim, o seu mundo é criativo e consegue agarrar-nos.

Lamento imenso, mas infelizmente não me sinto à vontade para recomendar livros do mesmo. A trilogia das Jóias Negras é diferente de tudo o que li ou conheço. É literatura fantástica, mas como? Gótica? Negra? Sensual? Tudo isso e mais? Simplesmente Dark Fantasy? Sinceramente não sei ao certo. Não digo que Anne Bishop tenha criado um género, mas o que a torna especial não anda por aí, nas bancas da literatura fantástica. Ocorrem-me nomes, como a famosa Anne Rice e a portuguesa Carla Ribeiro, mas nenhum que me atreva a recomendar. Há que arriscar :)

Obrigado pela visita!
Fábio J. a 3 de Setembro de 2010 às 21:30

Olá de novo, (obrigada por teres respondido ao post )
concordo exactamente com o que dizes... em todos os livros que li da Bishop , os inícios para mim eram sempre confusos, mas à medida que os ia lendo, conseguia compreender grande parte da história.... Ela tem um estilo de escrita muito descritivo, que é tanto sensual como viciante.... É algo que me atrai imenço em relação ao livros dela. Os livros que são de outro Mundo (Efémera), creio que são só  "Sebastion" (recomendo totalmente) e "Belladonna" (ainda não li, mas está na minha lista, é uma espécie de continuação do "Sebastion").... Se comprares os outros livros após a trilogia, não te vais arrepender nada, são muito interesantes, atrevo-me a dizer (com o pouco que li) que até podem ser um pouco melhores do que a trilogia... mas não posso dar garantias, afinal Anne Bishop surpreende sempre!

Os melhores cumprimentos,
Rita
Rita a 5 de Setembro de 2010 às 13:52

Às vezes demoro, mas tento sempre responder aos que aqui comentam. É um prazer!

A minha experiência com o início da trilogia foi bastante má porque não percebia nada, mas tal como tu consegui embrenhar-me naquele mundo com o passar dos capítulos. E gostei...

Os restantes livro da autora que se passam noutro mundo fantástico não me cativam muito, sobretudo porque temo demorar muito tempo a compreender o enredo. Mas os livros que se seguem à trilogia, esses sim, atraem-me. São melhores do que a trilogia? Hmm, óptimo!

Abraço
Fábio J. a 6 de Setembro de 2010 às 22:21

Um blog sobre livros e afins. A descongelar lentamente...
Contacto
Contacto

As mensagens poderão não ser lidas por extensos períodos. Pedidos de divulgação e/ou colaboração poderão não obter resposta.
pesquisar
 
A ler...
Tales of Earthsea

Romeo and Juliet

comentários recentes
<a href='http://www.cricinfobuzzlive.com/live-c...
E Jack london?Eça de Queiros.....
Também adorei!:http://numadeletra.com/a-mancha-hum...
Quando será lançado o quarto livro em português do...
Estou agora a ler esse livro e este seu texto deu-...
arquivos
2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


Leitores Online
online


O autor deste blog não respeita o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa