Setembro 30 2008
Quando gosto mesmo de ler um livro, virar a sua última página é doloroso, sufocante. Afinal, durante um determinado período entreguei-me à história e deixei-a guiar-me, calado. Trata-se de uma despedida, muitas vezes cruel. É isso que sinto agora, pois acabei Pássaros Feridos, da autora australiana Colleen McCullough.
Por maior que seja este texto, o livro é eficientemente descrito com um só adjectivo: perfeito. Para fundamentar tal opinião basta-me dizer que desde a primeira à última frase a obra está soberbamente bem escrita e a história é belíssima e envolvente, não havendo nenhum ponto que, verdadeiramente, constitua prejuízo.
A narrativa começa em 1915, na Nova Zelândia, no dia do 4º aniversário de Meggie, o então mais novo membro da numerosa família Cleary. Contudo, é em Drogheda, uma fazenda australiana para onde a família se muda, que esta história se desenvolve. Aí, a jovem Meggie conhece Ralph, um ambicioso padre católico. E se, inicialmente, este pouco mais era do que um tutor e amigo, quando Meggie cresce o sacerdote sofre com o coração dividido entre a ambição pela carreira eclesiástica e o profundo amor que sente por ela.
Embora a fascinante relação entre Meggie e Ralph seja a mais desenvolvida, esta história épica oferece muito mais do que isso; a complexidade das muitas personagens e a forma como interagem deixou-me maravilhado. Trata-se de uma grande história que se desdobra em incontáveis vivencias que, por si só, poderiam originar várias obras, todas elas interessantes.
As três gerações que lhe dão vida completam-se e reforçam contrastes, tornando-a, também, numa saga familiar, na qual os erros e traumas dos mais velhos influenciam os mais novos, como um ciclo natural.
A história é contada com extrema sensibilidade e mestria, embelezada com soberbas descrições e apoiada por uma interessante contextualização histórica. Para além de tudo isso, penso que sejam o ritmo da narração, os diálogos sinceros e o estilo simples e cativante que fazem desta obra uma obra-prima.
Nunca pensei vir a gostar tanto de um romance deste género. Foi uma surpresa verdadeiramente positiva. Um livro para ler, reler e voltar a ler.
Pássaros Feridos de Colleen McCullough
Boas Leituras!
Publicado por Fábio J. às 21:32

É realmente um livro soberbo! Eu adorei lê-lo e espero ler mais livros da autora. Depois do "Pássaros Feridos" li "Tim" que é muito bom...quero ler também "O toque de Midas".
marcia a 30 de Setembro de 2008 às 23:33

Depois da óptima experiencia com este livro estou decidido a ler outras obras da autora.

"O toque de Midas" é um dos que mais me desperta curiosidade pois, pelo que li, é bastante apreciado. Vindo desta autora já tudo me convence pois ela tem um estilo fantástico.
Fábio J. a 2 de Outubro de 2008 às 20:15

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Um blog sobre livros e afins. A descongelar lentamente...
Contacto
Contacto

As mensagens poderão não ser lidas por extensos períodos. Pedidos de divulgação e/ou colaboração poderão não obter resposta.
pesquisar
 
comentários recentes
Muito boa tarde, gostaria de comprar o livro o alq...
O livro pareçeme intereçante eu vou começalo a ler...
Um religioso falando em delírios... chega a ser pa...
-Crónica de uma morte anunciada...vi esse filme em...
Realmente, sou fascinada por este livro, maravilho...
arquivos
2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D




O autor deste blog não respeita o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa