Dezembro 20 2007
No passado fim-de-semana, tive a oportunidade de visitar uma livraria tradicional situada numa movimentada rua no centro da cidade, bem como uma Fnac presente num movimentado centro comercial. Em ambas, aproveitei para passear-me por entre as estantes, avaliando o que as componha. No que toca à fantasia, se numa era dado destaque ao que se vende bem e se vende sempre, na outra o destaque era dado principalmente às novidades, muito embora também nesta houvesse fundo editorial.
No entanto, em nenhuma deslumbrei a história de Pedro Ventura, nomeadamente o segundo volume, Goor – A Crónica de Feaglar II, que muito recentemente terminei. E quando alerto para sua ausência, não o faço por esta ser uma obra recente ou nacional. Faço-o porque, agora que a terminei, acredito bastante que seja capaz de agradar e deliciar muitos leitores.
Em Goor – A Crónica de Feaglar I, foram-nos dadas a conhecer as intenções e o temperamento de cada personagem, assim como o contexto da guerra dos Sete Reinos e as razões da demanda até Goor. Mas muito ficou por explicar. Neste segundo volume, desde logo acompanhamos essa fatídica mas determinada demanda em busca de um objecto que trará a paz.
Trágica e repleta de surpresas, a demanda acaba por atingir o seu objectivo, mas desengane-se quem pensar que a história acaba aqui. Num dos momentos mais fascinantes da obra, dá-se uma grande reviravolta e o inimigo mostra-se mais esperto, aproveitando as fraquezas e os erros que caracterizam qualquer humano.
A certa altura não tive dúvidas: estava a ler algo de qualidade superior ao próprio Senhor dos Anéis ou a qualquer outro livro deste género, tal o fulgor e impacto desta narrativa épica! Mas é então que a história entra numa segunda fase, mais serena e um pouco mais apagada. Nisto, as personagens voltam a partir, preparando-se para o destinado confronto final, narrado nas profecias, ansiado pelos povos, temido pelos intervenientes. Mas ao destino – terrível condenação – dificilmente se escapa.
Ao contrário do que aconteceu com o primeiro volume, neste ocorreram-me algumas comparações com outras obras sobejamente conhecidas, mas nada que diminua a grande criatividade do autor, que, tenho de realçar, continua a surpreender pela linguagem cuidada e bem usada, pelos diálogos vivos e pela produtiva imaginação.
Achei injusta a (inesperada) morte de algumas personagens, contudo, o autor conduziu a narrativa a um fim criativo e necessário que, no fundo, representa bem a moral desta estória que em tantos factores é uma perfeita analogia ao nosso mundo real.
O único pecado da narrativa dos dois livros é ser, a meu ver, muito uniforme, faltando o destaque a grandes momentos de fulgor e morte (talvez seja a minha ânsia pelo drama e tragédia a falar mais alto). Mas não é por isto que deixo de aconselhar a obra. Criativa, bem escrita, atraente: a fórmula está dada, agora só falta ler!

Goor - A Crónica de Feaglar II de Pedro Ventura

Boas Leituras!!!

Publicado por Fábio J. às 22:33
Tags: ,

Outubro 12 2007
Finalmente é fim-de-semana! Ufa! Estava a ver que não...
Hoje, logo que chego ao PC, deparo-me com as inevitáveis consequências de um novo Nobel da Literatura: o destaque nas livrarias virtuais, as páginas especiais, enfim, o habitual; e mais uma vez a Editorial Presença consegue publicar uma obra do galardoando em pouco tempo. O ano passado foi com A Vida de Nova, de Pamuk, e este ano é com O Sonho mais Doce, da premiada Doris Lessing, com lançamento marcado para o próximo dia 19. No ano anterior não sei, mas neste foi um grande golpe de sorte que ajudará consideravelmente nas vendas.
Mas este post é sobre outro livro, uma outra história que me acompanhou nos últimos dias: Goor – A Crónica de Feaglar I. Este é o primeiro livro publicado por Pedro Ventura, talvez mais conhecido na “comunidade virtual” por Sá Morais, o nome com que assina os posts dos seus blogs, nomeadamente em a Crónica de Feaglar.
Sendo uma obra de fantasia, seria de se esperar a influência de algum clássico, ou até mesmo de algum êxito internacional, mas a verdade é que Pedro Ventura consegue apresentar-nos uma história que está longe dos normais clichés do género e que prima pela originalidade. Desde logo a linguagem, a sua própria escrita, despertou a minha atenção; talvez por ser português e sentir as palavras duma maneira particular, o autor demonstra um domínio e um estilo que me agradou.
Antes de mais, devo realçar a parte física do livro: a capa não podia ser mais original, mas o que mais influencia a forma como a história é lida é a sua divisão. Não existem capítulos neste livro, quando muito três momentos diferentes, factor que nos faz continuar a leitura, sem querer parar.
Neste livro acompanhamos Feaglar, o rei de Dhorian, um dos Sete Reinos. A história passa-se num tempo conturbado, no qual as disputas políticas se alastram, lançando povos contra povos, em guerras sangrentas. Tudo isto se deve a Caliciada, a rainha dum dos reinos, que, orientada por objectivos pouco claros, vai lançando o caos e a morte.
Numa primeira fase, a história parece pouco consistente, já que os acontecimentos são pouco aprofundados e parecem não ter um grande propósito. Mas há medida que o enredo vai evoluindo e novas personagens nos são dadas a conhecer, dá-se um click e a acção multiplica-se. Cada página torna-se numa nova descoberta, deixando, no entanto, uma série de questões e mistérios por esclarecer.
Personagens ímpares, como a heroína Gar-Dena, dão um sabor especial ao enredo. Mas onde há heróis há vilões, e aqui, mesmo estes são sinal da criatividade sempre presente. É verdade que estas “crónicas” pretendem narrar a demanda em busca dum objecto especial que definirá os vencedores desta batalha, mas é na maneira como a demanda se processa que está o ponto forte da história.
Neste primeiro livro apenas nos são narrados os antecedentes e preparativos para o início da viagem até Goor e, portanto, a história sabe a pouco. Contudo, não tenho dúvidas que o próximo volume surpreenderá pela positiva e que a conclusão não desiludirá. E para isso não será preciso esperar muito já que o próximo volume, Goor - A Crónica de Feaglar II, que é também a conclusão da história, é lançado amanhã, em Viseu. Aproveitem e leiam os dois!
Resta-me agradecer ao autor, Pedro Ventura, pela simpatia em me ter proporcionado esta leitura, desejando-lhe desde já muito boa sorte para esta sua nova obra. Um grande bem-haja!

Goor - A Crónica de Feaglar I

Goor - A Crónica de Feaglar I de Pedro Ventura
Bom fim-de-semana e Boas Leituras!!!
Publicado por Fábio J. às 23:24

Novembro 06 2006

Sei que a semana já começou a algum tempo, mas precisamente por falta deste só hoje pude actualizar o blog e expor o livro da semana.

Foi difícil, confesso, pois, apesar de não ser nenhum conceituado crítico de literatura, gosto de cumprir alguns critérios no que toca a recomendar ou a expor um livro. Tento sempre que seja um livro que, caso não tenha lido, possa um dia ler ou que gostaria de ler. Faço por variar os temas, podendo assim dar a conhecer um pouco de tudo, mas, obviamente, acabo sempre por publicar sobre algo que goste e que se identifique com os meus gostos. Tenho também em atenção a data de lançamento do livro para não referir algo já há muito editado.

Tenho de repetir que não foi fácil. Numa breve pesquisa por sites de editoras e livrarias virtuais os títulos apelativos foram tantos que fiquei confuso e bastante indeciso. Eis então, depois de já ter concentrado as escolhas, que encontro Goor – A Crónica de Feaglar. Lembrei-me que nunca tinha mencionado o livro no blog (um grave falha, visto o autor ser um visitante) e vi que satisfazia todos os critérios, incluindo o facto de ser um livro que pretendo ler.

Escrita por Pedro Ventura e editada pela Papiro Editora esta obra, mais do que um conto de high fantasy é também um sumptuoso romance de aventura que decorre no período da Guerra dos Sete Reinos. Neste livro é-nos narrada a fantástica aventura do rei Feaglar e dos seus companheiros, aventura essa que os levará até aos limites das suas capacidades e aos confins do mundo conhecido, enfrentando inúmeros perigos e a herança de um nebuloso passado que foi propositadamente apagado da memória de todos os povos.

Uma história épica de grande imaginação e que será, sem dúvida, uma óptima escolha para quem quer passar um bom tempo na companhia duma história encantadora, sem esquecer que é fruto dum autor nacional.

Para conhecer mais sobre o enredo podem visitar o blog do autor http://vozdecelenia.blogs.sapo.pt/ e, quem sabe, debater um pouco sobre a história com o seu próprio criador.

Até breve e Boas Leituras!!!

Goor - A Crónica de Feaglar

Publicado por Fábio J. às 18:00
Tags: ,

Um blog sobre livros e afins. A descongelar lentamente...
Contacto
Contacto

As mensagens poderão não ser lidas por extensos períodos. Pedidos de divulgação e/ou colaboração poderão não obter resposta.
pesquisar
 
comentários recentes
Muito boa tarde, gostaria de comprar o livro o alq...
O livro pareçeme intereçante eu vou começalo a ler...
Um religioso falando em delírios... chega a ser pa...
-Crónica de uma morte anunciada...vi esse filme em...
Realmente, sou fascinada por este livro, maravilho...
arquivos
2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D




O autor deste blog não respeita o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa