Maio 30 2007
Sou realista. Este blog está a perder interesse de dia para dia, muito por causa da desactualização. Para além disso, o pouco tempo que tenho para fazer algo aqui nem sempre é assim tão rentável. Preciso mudar a rotina e o ar do blog, e, portanto, haverão alterações em breve. As férias, que finalmente estão a chegar, também proporcionarão tempo e disposição para voltar a dar vida aos posts. Até lá, peço desculpa pela monotonia.
Mas as notícias continuam! Faz sexta-feira um ano que o Plano Nacional de Leitura, o LER+, se tornou uma realidade na sociedade portuguesa. Sou sincero: durante este ano não me recordo de uma única vez que este “plano” tenha chegado até mim, muito menos influenciado as minhas leituras. Mas os ministérios da Educação, da Cultura e dos Assuntos Parlamentares não podiam louvar mais esta actividade anual.
Hoje não tive aulas, devido à grave, e foi ao ver as notícias, ao início da tarde, que recebi esta informação. Segundo consta, um milhão de crianças, do ensino pré-escolar ao 2º ciclo, participou nas iniciativas do PNL ao longo de um ano de actividade, tendo havido, segundo os responsáveis, “uma participação muito expressiva da sociedade civil e dos agentes ligados ao sector”; se eles o dizem...
É, sem dúvida, muito louvável que haja este incentivo à leitura, tentando assim diminuir os níveis de iliteracia em Portugal. O projecto foi direccionado, principalmente e como já foi dito, aos alunos que frequentam desde o ensino pré-escolar ao 2º ciclo, com sugestões literárias e actividades de leitura e escrita. Talvez tenha tido a sua importância com os membros mais novos da nossa sociedade, já com os outros é outra história.
Apesar de apoiar, não acredito assim tanto na força de persuasão ou influência desta iniciativa, e muito menos em alguma mudança de mentalidades e hábitos revolucionária, como os responsáveis parecem querer passar. Não nos adianta comparar os níveis de literacia de hoje com os de há 30 anos atrás, afinal a taxa de analfabetismo era, até há alguns anos, verdadeiramente vergonhosa em Portugal (não que agora seja reconfortante).
Deixando de críticas, o importante é que o governo português manifestou a sua preocupação com a iliteracia e as derivadas consequências, pondo mãos à obra e tentando, pelo menos, mudar mentalidades e hábitos. Por algum lado temos de começar e acho que vamos num bom caminho, embora íngreme.
Resta-me desejar que este seja um ano mais proveitoso e que realmente os hábitos de leituras em Portugal cresçam, fazendo acender a paixão pelos livros. Neste blog, faz-se por isso.
Até Breve e Boas Leituras!!!
Publicado por Fábio J. às 21:50

Maio 01 2007
É engraçado ter uma página em branco, à nossa frente, sem saber como iniciar o texto. Enquanto as mãos continuam pousadas sobre o teclado, o cursor vai piscando, esperando pelas letras, pelas palavras. Elas hão de vir, ele sabe.
Mas quando vêm não trazem novidades. Ficam apenas ali, na página, esperando que alguém as leia e as interprete. E se ninguém chegar? Bem, se ninguém chegar elas continuarão lá, esperando pelo leitor mais audaz, que se perderá nas suas frases, nas suas mensagens, enfim, nas suas naturais e intrínsecas histórias.
Cada explorador espera encontrar o seu tesouro, valioso e incomparável, e as palavras, que se escondem nos imponentes e respeitáveis cofres, os livros, sabem contentar o aventureiro sempre que este as encontra, as explora.
Estes aventureiros podem trazer no sangue a paixão literária, aquela que os cega e os faz mudos, e os consome desde sempre. Para estes a leitura é algo natural, tão natural como o nascer do dia depois da morte da noite, porque para eles a leitura é mais do que o tesouro das palavras, é o tesouro do livro. Continuará lá, no seu sangue, pois do sangue nasceu e só com o sangue morrerá.
Existem outros para quem o tesouro é uma maior descoberta, uma descoberta que ocorreu depois da aventura que os ensinou a interpretar as estranhas runas que contêm a sabedoria e as histórias. Para estes o tesouro foi encontrado e certamente fará parte das suas vidas.
Porém, há quem precise de se explorar para depois explorar estes tesouros. Porque tudo é composto de mudança, também nós mudamos e descobrimos, na altura certa, o caminho que nos levará ao encontro destes cofres. Aí aventurar-nos-emos por estranhos lugares e incríveis mundos. Descobriremos um novo lado da vida, um lado que faz parte de nós.
Nunca é tarde para fazer uma descoberta, que o digam aqueles que encontraram, nas palavras, o tesouro que tanto procuravam. Por vezes os tesouros estão bem escondidos, mas quando aparecem, revelam-se uma sobeja recompensa pelo caminho percorrido.
Para todos os exploradores que procuram incessantemente aumentar o seu tesouro, apenas digo: continuem esta aventura e fundam-na com a vossa vida, pois a leitura enriquece o ser e complementa a nossa história.
Para aqueles que ainda não partiram em busca desta aventura só há uma coisa a dizer: procurem os vossos cofres, pois as letras e as palavras não fogem, esperam por vós, mas são muitas.
__________________________________
Leio desde:
 
44.77% sempre.
29.85% que aprendi a ler.
14.92% a adolecência.
3.73% há poucos dias.
6.71% Não leio.

 

Total: 134 respostas
Bom mês e Boas Descobertas!!!
Publicado por Fábio J. às 18:49
Tags: ,

Um blog sobre livros e afins. A descongelar lentamente...
Contacto
Contacto

As mensagens poderão não ser lidas por extensos períodos. Pedidos de divulgação e/ou colaboração poderão não obter resposta.
pesquisar
 
comentários recentes
Muito boa tarde, gostaria de comprar o livro o alq...
O livro pareçeme intereçante eu vou começalo a ler...
Um religioso falando em delírios... chega a ser pa...
-Crónica de uma morte anunciada...vi esse filme em...
Realmente, sou fascinada por este livro, maravilho...
arquivos
2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D




O autor deste blog não respeita o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa